01
Setembro
2017
|
01:00
Europe/Lisbon

Protótipo autónomo smart vision EQ fortwo: bem-vindo ao futuro da partilha de automóveis

O smart vision EQ fortwo é uma nova visão de um transporte público local com mobilidade urbana e individualizada, elevada flexibilidade e total eficiência: este protótipo autónomo recolhe os passageiros diretamente no local por eles escolhido. As novas opções de individualização ajudam os utilizadores a reconhecer que é o "seu" veículo: através da grelha frontal e das grandes superfícies projetadas na lateral, o smart vision EQ fortwo permite uma individualização do veículo sem precedentes, ideal para a partilha de automóveis. Este protótipo é o primeiro veículo do grupo Daimler a dar o passo lógico de dispensar um volante e os pedais.

O smart vision EQ fortwo é, também, um automóvel que combina os campos individuais de tecnologia e experiência que formam a estratégia empresarial da CASE e que oferecem aos utilizadores citadinos um acesso intuitivo à mobilidade individual. A sigla CASE significa os pilares estratégicos da conetividade (Connected), da condução autónoma (Autonomous), da utilização flexível (Shared & Services) e dos sistemas motrizes elétricos (Electric).

Está prevista a produção de mais de dez novos automóveis elétricos pela divisão automóvel da Mercedes-Benz até ao ano de 2022, desde o pequeno smart ao grande SUV. A smart deu o seu primeiro passo em 2007, com o smart de motorização elétrica e hoje todos os seus modelos são oferecidos opcionalmente com motorização elétrica.

Shared: o smart vision EQ fortwo é uma nova visão da partilha de automóveis. Como a transformação do "tráfego urbano" em "fluxo citadino" no futuro, não só trará benefícios aos utilizadores, como também ao público em geral, as autoridades citadinas e municipais são também um grupo-alvo da smart no que respeita aos conceitos de car-sharing. No presente, é alugado um veículo car2go algures no mundo a cada 1,4 segundos. Atualmente a car2go tem mais de 2,6 milhões de clientes em todo o mundo – um número que está sempre a crescer. Os estudos mais recentes preveem que o número de utilizadores das plataformas de car-sharing em todo o mundo terá quintuplicado em 2025, atingindo um valor de 36,7 milhões. Um dos fatores que tornam a car2go tão popular é a espontaneidade e a flexibilidade da partilha livre de automóveis. O veículo não tem de ser recolhido ou devolvido num local específico. Em vez disso, pode ser alugado e deixado em qualquer uma das zonas "base" (home) designadas.

Autonomous: O protótipo smart vision EQ fortwo de motorização elétrica demonstra como a condução autónoma pode tornar o car sharing do futuro ainda mais conveniente, simples e economicamente eficiente. Graças ao conceito de "swarm intelligence" (inteligência coletiva) e à condução autónoma. O smart vision EQ fortwo vem anunciar uma nova era na partilha de automóveis: os utilizadores já não têm de procurar o carro seguinte que esteja disponível – o veículo dirige-se aos passageiros e recolhe-os diretamente nas suas localizações escolhidas. E, graças a este conceito e à previsibilidade resultante da procura, o veículo provavelmente não vai estar longe de onde é preciso, tornando as diligências de hoje, necessárias para recolher um "carro alugado", uma coisa do passado. Os veículos interligados estão sempre na estrada. A utilização aumenta e, ao mesmo tempo, a quantidade de tráfego e o número de espaços de estacionamento necessários nas áreas urbanas diminui.

Connected: Para "chamar um smart vision EQ fortwo basta usar um dispositivo móvel de comunicações. As novas opções de individualização ajudam os utilizadores a reconhecer que é o "seu" veículo: através da grelha à frente (dimensões: 44 polegadas/105 x 40 cm e das grandes superfícies projetadas dos lados, o smart vision EQ fortwo permite a personalização do veículo. Os grupos de LEDs no lugar dos faróis refletem um aspeto clássico (de desportivo a neutro) ou assumem o formato de olhos, o que permite uma comunicação mais "humanizada" com o veículo. Os farolins traseiros também podem ter um aspeto convencional ou oferecer informações detalhadas – por exemplo, alertas ou informações de trânsito. À frente, a grelha do radiador serve para dar um toque pessoal e para comunicar com os outros utilizadores da estrada (por exemplo, para dar informações aos peões que atravessam a estrada). As portas deste protótipo estão revestidas por uma película que pode ser ativada conforme necessário. Se o veículo não estiver ocupado, podem ser apresentadas informações sobre eventos locais, previsões do tempo, notícias ou as horas. A grelha preta do smart indica se o veículo está ocupado por um ou por dois passageiros.

Quem pretender, pode usar a função de partilha 1+1 para entrar em contacto com utilizadores potencialmente interessados. Os eventuais passageiros são sugeridos com base nos seus perfis e planos de viagem atuais memorizados e podem ser aceites ou rejeitados. Quando estiverem dois passageiros a bordo, o mostrador grande no interior mostra os interesses comuns aos dois, tais como concertos a que foram recentemente ou os desportos que ambos praticam. O tempo extra que se ganha como resultado de viajar num veículo de condução autónoma pode ser usado para conversar e interagir.

Electric: O smart vision EQ fortwo possui uma bateria recarregável de iões de lítio com 30 kWh de capacidade. Quando não está em utilização, o veículo dirige-se de forma independente a uma estação de carga para recarregar a bateria. Em alternativa, os carros podem "atracar" de forma indutiva à rede elétrica, carregar eletricidade para a rede e atuarem como "bateria coletiva", aliviando a pressão da rede elétrica. Aqui, a smart desempenha um papel fundamental na formulação de uma nova revolução energética.

Estilo de vida urbano do futuro

O smart vision EQ fortwo (comprimento/largura/altura: 2.69/1.720/1.535 mm) é um veículo moderno de dois lugares e, tal como todos os modelos smart, oferece o máximo de espaço numa carroçaria diminuta. O veículo comunica através da sua grelha frontal e dos grupos de LEDs, que substituem os faróis e os farolins. Os vidros laterais são cobertos por uma película especial, com informações que podem ser projetadas do interior. A área frontal do habitáculo apresenta um mostrador de preto destinado à atividade de interface com o utilizador.

Exterior: proporções caraterísticas de um smart, um novo conceito de portas

O exterior é como uma peça de joalharia, com um recetáculo que circunda simbolicamente a pedra preciosa. Com um design de "caixa e meia", as cavas das rodas pronunciadas e musculadas e as curtas distâncias entre os eixos das rodas e as extremidades dos para-choques, à frente e atrás, tornam as proporções deste protótipo tipicamente smart.

O novo conceito das portas é uma caraterística distintiva. Para poupar espaço, as duas portas rodam em pivot, como asas sobre o eixo traseiro, facilitando ao acesso e criando uma arquitetura fascinante. O conceito das portas também permite reduzir o perigo de colisões com ciclistas e com peões. Os elementos tridimensionais rosa-dourado nas rodas e no difusor são uma alusão à motorização elétrica e criam uma ponte com o padrão de design EQ. Os vidros laterais têm um aspeto hexagonal cónico.

O design claro e futurista do exterior é reforçado pelas superfícies brancas metalizadas e pelos vidros escurecidos. Numa forma contemporânea e tecnológica, o smart "brinca" com as cores no exterior através de um grande número de exibições gráficas.

Interior: espaço generoso, arrumação inteligente

O esquema cromático do smart vision EQ fortwo possui um aspeto fresco e futurista, combinado com toques quentes de rosa-dourado. Este protótipo é o primeiro veículo do grupo Daimler a dar o passo lógico de dispensar um volante e os pedais. As funções do veículo são controladas por um dispositivo móvel pessoal ou por comandos de voz, num arranjo intuitivo, conveniente e higiénico. Ao dispensar os elementos de controlo convencionais, o habitáculo parece ser ainda mais espaçoso. O tablier é substituído por um ecrã (58,5 x 15, 6 cm) rodeado por uma moldura em rosa-dourado. Os bordos exteriores apresentam dois mostradores de menores dimensões (quatro polegadas), que podem ser usados pelo smart vision EQ fortwo, por exemplo, para dizer "Bem-vindo".

Estofados com uma nova e inovadora pele sintética, os bancos de cor branca são fáceis de limpar e, portanto, totalmente compatíveis com o conceito de "partilha". Os bancos tipo "lounge" oferecem espaço para até dois passageiros. Caso necessário, o apoio de braço central retrátil cria uma separação entre os ocupantes ou serve como compartimento de arrumação. O interior branco cria uma impressão generosa de espaço. Por outro lado, há opções inteligentes de arrumação disponíveis no piso e debaixo dos bancos. A bagagem e os acessórios pessoais podem ser fixos por faixas em borracha azul.

O grande número de superfícies digitais, tanto dentro como fora, oferecem um novo nível de comunicação entre o ser humano e o automóvel, no que respeita a todos os aspetos da condução autónoma e à partilha de automóveis. As cores do veículo e os ecrãs adaptam-se aos seus clientes, oferecendo um "santuário" privado na confusão da cidade. Assim, o utilizador tem também a possibilidade de personalizar o veículo e adaptá-lo às suas necessidades.

Acerca da CASE

CASE – estas letras estão a moldar o futuro da mobilidade. Esta sigla CASE significa os pilares estratégicos da ligação em rede (Connected), da condução autónoma (Autonomous), da utilização flexível (Shared & Services) e dos sistemas motrizes elétricos (Electric). Os quatro domínios da CASE são parte integral da estratégia empresarial da Daimler AG. O objetivo é definir os moldes de uma mobilidade intuitiva para os nossos clientes, através dos tópicos estratégicos da CASE.

Hoje em dia, a divisão automóvel da Mercedes-Benz já tem um papel preponderante nestas quatro áreas. Por exemplo, todas as atividades na área da conetividade estão focadas na marca digital Mercedes me, que dá aos clientes acesso a uma gama extensa e personalizada de serviços disponíveis através de aplicações, website ou diretamente o automóvel.

No caminho para a obtenção de uma mobilidade autónoma, há vários anos que a Mercedes-Benz tem sido um dos principais impulsionadores do desenvolvimento, tendo repetidamente definido os padrões neste domínio. Para isso, os engenheiros da Mercedes-Benz usam um conceito denominado "sensor fusion" (fusão de sensores). Este conceito combina e analisa de forma inteligente os dados dos diferentes sensores, sejam câmaras, sensores de ultrassons ou radares. Com o protótipo smart vision EQ fortwo, a marca smart vem também demonstrar como poderá ser a condução de um veículo sem volante e sem pedais, no futuro.

A Mercedes-Benz, como empresa inventora do automóvel, já tem um papel fundamental no campo da partilha e dos serviços (Sharing & Services). Os serviços de mobilidade já usados por mais de 14,5 milhões de pessoas abrangem a partilha livre de veículos (car2go), o car-sharing privado "peer-to-peer" entre utilizadores (Croove), a aplicação para chamar um táxi (mytaxi) e a plataforma de mobilidade (moovel).

A Mercedes-Benz tem uma abordagem completa no que respeita à eletrificação das motorizações dos seus veículos. Para além da família de veículos da marca EQ, a Mercedes-Benz também tem em desenvolvimento um ecossistema holístico que, juntamente com o próprio veículo, também abrange uma oferta compreensiva de mobilidade elétrica. Isto abrange serviços inteligentes e unidades de armazenamento de energia para clientes privados e comerciais, tecnologias de carregamento de baterias e reciclagem sustentada. No caminho para uma condução sem emissões, a Daimler segue sistematicamente uma estratégia de "três vias" no que respeita às motorizações, a fim de conseguir implementar a máxima compatibilidade ambiental em todas as classes de veículos (incluindo veículos comerciais e carrinhas) – com uma mistura inteligente dos mais recentes motores de combustão e eletrificação parcial por meio das tecnologias de 48 volts, veículos híbridos personalizados de ligação à rede elétrica EQ Power e veículos elétricos de baterias ou com motorização a células de combustível.