Sintra,
11
Setembro
2019
|
09:30
Europe/Lisbon

Mercedes-Benz GLE 350 de 4MATIC e GLC 300 e 4MATIC: Novos veículos híbridos plug-in de terceira geração

Até ao final de 2019, a Mercedes-Benz terá mais de dez híbridos plug-in na sua gama.

A autonomia em modo totalmente elétrico do GLE 350 de 4MATIC híbrido plug-in (consumos ponderados de combustível 1,1 l/100 km, emissões ponderadas de CO2 29 g/km, consumos ponderados de energia 25.4 kWh/100 km) é impressionante: graças a uma bateria de 31,2 kWh capacidade, a autonomia é superior a 100 km’s (NEDC). A velocidade máxima pode chegar aos 160 km/h em modo elétrico. O seu motor diesel de quatro cilindros com tecnologia de topo é também altamente eficiente. O GLC 300 e 4MATIC (consumos ponderados de combustível 2,5-2,2 l/100 km, emissões ponderadas de CO2 de 57 a 51 g/km, consumos ponderados de energia de 17,8 a 16,5 kWh/100 km)2 também usa a terceira geração da tecnologia plug-in da Mercedes-Benz.

A autonomia consideravelmente maior do GLE 350 de 4MATIC, em comparação com outros veículos híbridos plug-in, indica o caminho para uma experiência de condução em modo elétrico ainda mais gratificante. O design especial da traseira e o eixo traseiro modificado criam espaço para o grande conjunto de baterias. A bagageira não tem "degraus", sendo plana e com uma generosa capacidade de até 1.915 litros. A proporção de condução em modo elétrico não é apenas aumentada para os percursos longos, mas também pela recarga rápida durante os percursos. Para isso, o SUV possui uma tomada combinada para carregamentos de corrente alternada (AL) e de corrente contínua (DC). Esta tomada está localizada na lateral esquerda, em posição simétrica à tampa de abastecimento de combustível no lado direito do veículo. Nas estações de carregamento CC correspondentes, a bateria pode ser carregada em cerca de 20 minutos (com estado de carga (SoC – State of Charge) entre 10 e 80%) ou em cerca de 30 minutos (SoC a cerca de 10-100%).

Sendo o maior membro da família EQ Power, o GLE 350 de 4MATIC tira especial partido das tecnologias de ponta. Isto inclui o elevado potencial possibilitado pela recuperação energética às quatro rodas, com um binário máximo de recuperação de 1.800 N·m. Neste modo, a maioria das situações de condução pode ser controlada apenas pelas ações do acelerador. Além disso, sendo um veículo híbrido de ligação à rede elétrica (definição de "plug-in"), o GLE tem uma capacidade de reboque integral de até 3.500 kg. O Assistente de Manobras de Reboque (TMA – Trailer Maneuvering Assist) facilita as manobras com um atrelado, mesmo para quem tem menos experiência. Este assistente controla automaticamente o ângulo de direção do veículo que faz o reboque.

Principais dados:

• Autonomia em modo elétrico de 106 km (NEDC)

• Potência elétrica 100 kW (136 cv)

• Potência do sistema 235 kW/320 cv

• Binário do sistema 700 N·m

• Velocidade máxima de até 160 km/h (modo elétrico)/210 km/h (geral)

• Aceleração de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos

Outros destaques do GLE 350 de 4MATIC:

• Luxo moderno na estrada e fora dela: esta é a mensagem de design do novo GLE, já comunicada pelas suas proporções, com uma distância entre eixos longa, com os eixos posicionados perto das extremidades e carroçaria e jantes de grandes dimensões.

• O GLE trabalha de forma extremamente silenciosa e suave. Este trabalhar silencioso e sem vibrações é atualmente o melhor da categoria, sendo esta particularidade salientada em modo elétrico.

• A longa distância entre eixos de quase três metros (2.995 mm) beneficia especialmente os passageiros do banco traseiro, que possuem assim amplo espaço para as pernas. É aqui que o novo GLE também oferece como opção uma novidade em primeira-mão no mercado de SUVs desportivos: uma segunda fila de bancos totalmente ajustáveis.

• Por outro lado, sendo um veículo híbrido, o GLE possui tração integral totalmente variável. Esta particularidade torna o GLE ainda mais ágil e seguro na estrada.

• O novo GLE marcou ainda a estreia da última geração de sistemas de assistência à condução da Mercedes-Benz. O nível de segurança ativa foi melhorado em comparação com o modelo anterior.

• Com valores de Cd a começarem em 0,29, o novo GLE possui o menor coeficiente de arrastamento de qualquer SUV no mercado e isso contribui para a enorme autonomia de condução.

Mercedes-Benz GLC 300 e 4MATIC: a liberdade na sua forma mais versátil

O Mercedes-Benz GLC sente-se à vontade em qualquer tipo de terreno. Este SUV de tamanho médio é uma combinação inteligente de funcionalidade e agilidade, num design moderno. O modelo oferece excelente conforto e funcionalidade com um interior muito espaçoso. Graças a estas qualidades gerais, o GLC tem um elevado fator de atração para quem pretende um SUV premium e altamente versátil. Neste novo modelo, o GLC apresenta um design ainda mais impressionante, o sistema intuitivo de entretenimento MBUX (Mercedes-Benz User Experience) e os mais modernos sistemas de assistência à condução. Sendo um SUV de tração às quatro rodas, o GLC 300 e possui capacidade de reboque de até 2.000 kg.

O design exterior possui caraterísticas desportivas. A aparência off-road distinta é acentuada por contornos musculados das superfícies e por detalhes impressionantes, como os acabamentos cromados que agora mostram uma continuidade entre a frente e a traseira. O GLC está agora equipado de série com faróis de LEDs de alta performance. Os seus contornos foram significativamente melhorados e são agora mais pequenos e mais planos. Isto dá uma proeminência ainda maior às luzes diurnas de condução e uma assinatura típica Mercedes-Benz reconhecível de forma ainda mais imediata. Os faróis LED MULTIBEAM estão disponíveis como opção.

Desde o início, o GLC foi concebido para a integração de um conjunto de baterias com poupança de espaço. Para isto contribui o eixo traseiro colocado em posição rebaixada e a carroceria projetada para receber as baterias. O resultado é um compartimento de bagagem grande e nivelado, sem "degraus", cuja capacidade varia entre 395 e 1.445 litros.

Resumo dos dados:

 

GLE 350 de 4MATIC

GLC 300 e 4MATIC

Tipo/Número/Disposição dos cilindros

Diesel/4 em linha

Gasolina/4 em linha

Cilindrada (cm³)

1.950

1.991

Potência nominal do motor de combustão (kW/CV a rpm)

143/194 a 3.800

155/211 a 5.500

Binário nominal do motor de combustão N·m a rpm)

400 a 1.600-2.800

350 a 1.200-4.000

Potência nominal do motor elétrico (kW)

100

90

Binário nominal do motor elétrico (N·m)

440

440

Potência do sistema (kW/CV)

235/320

235/320

Binário do sistema (N·m)

700

700

Aceleração 0-100 km/h (s)

6,8

5,7

Velocidade máxima (km/h)[1]

210

230

Velocidade máxima, modo elétrico (km/h)

até 160

superior a 130

Consumos combinados de combustível (l/100 km)

1,1

2,5-2,2

Emissões combinadas de CO2 (g/km)

29

57-51

Capacidade total da bateria (kWh)

31,2

13,5

Consumos combinados de energia elétrica (kWh/100 km)

25,4

17,8-16,5

Autonomia NEDC em modo elétrico (km)

106

46-49

Autonomia WLTP em modo elétrico (km)[2]

90-99

39-43

[1] Limitada eletronicamente

[2] AER combinado. Modo totalmente elétrico: Modo totalmente elétrico com bateria totalmente carregada até o motor de combustão começar a trabalhar pela primeira vez.

 

A terceira geração da tecnologia plug-in da Mercedes-Benz

Mais potência, mais autonomia, mais diversão. As motorizações híbridas dos modelos com motor de combustão instalado longitudinalmente, do Classe C ao Classe S e do GLC ao GLE, são já a terceira geração híbrida desde a introdução do S 400 Hybrid em 2009. O atual motor elétrico foi redesenhado para ser incluído nas motorizações híbridas plug-in associadas à caixa de velocidades 9G-TRONIC. Os sistemas eletrónicos de potência, igualmente novos e significativamente melhorados, originaram aumentos consideráveis na densidade de potência e de binário.

Uma das maiores inovações em comparação com a versão anterior é o uso de um conversor de binário com embraiagem de bloqueio (lockup) integrada como dispositivo de arranque e de uma embraiagem adicional entre o motor de combustão e o motor elétrico para a condução em modo totalmente elétrico.

O sistema elétrico de bordo de alta voltagem fornece energia, não só aos componentes da transmissão e à bomba de vácuo do sistema de travagem regenerativo, como também ao compressor do ar condicionado e ao intensificador de aquecimento de alta voltagem. Ambos permitem o controlo do sistema de climatização antes da entrada dos ocupantes, não apenas no Verão, mas também no Inverno (porque também podem operar sem o motor de combustão).

A estratégia plug-in da Mercedes-Benz

Até ao final de 2019, a Mercedes-Benz terá mais de dez híbridos plug-in na sua gama – um portefólio atraente, desde o veículo compacto até ao porta-estandarte Mercedes-Benz Classe S. O objetivo é oferecer aos clientes mais de 20 variantes em 2020.

Os veículos plug-in oferecem dois tipos de vantagens: em cidade, funcionam em modo exclusivamente elétrico e, nas viagens longas tiram partido da grande autonomia do motor de combustão. Estes modos tornam o veículo mais eficiente de uma forma geral, porque podem recuperar energia durante as travagens e permitem que o motor de combustão funcione em faixas de rotação muito favoráveis.

Os veículos híbridos plug-in também são um marco importante em direção a uma condução isenta de emissões. A Mercedes Benz Cars tem vindo a desenvolver sistematicamente os seus híbridos plug-in com a designação EQ Power.

EQ Power + é o nome da tecnologia híbrida de performance que a Mercedes-AMG vai usar em estrada no futuro e já é atualmente usada com sucesso na Fórmula 1. Os primeiros membros da família EQ Power com tração dianteira comemoraram recentemente a sua estreia: os Classe A e B são os pilares da iniciativa plug-in da Mercedes-Benz.

O sistema Mercedes me Charge ajuda a carregar os veículos na estrada

O novo carregador de bordo mais que duplica a capacidade de carga de 3,6 kW para 7,4 kW e oferece o compromisso ideal entre tamanho, peso e capacidade de carga. Isto possibilita, por exemplo, carregar um conjunto de baterias descarregado em apenas uma hora e meia, usando um sistema Wallbox, instalado em casa. Se for usada uma tomada normal da rede elétrica doméstica, a carga dura cerca de cinco horas.

Para além de compatível com a alimentação doméstica, por exemplo, através de uma Wallbox Mercedes-Benz, também oferece comodidade e facilidade de carregamento em viagem. Isto porque o sistema de informação e entretenimento MBUX (Mercedes-Benz User Experience) ajuda o condutor a encontrar os postos de carregamento. O sistema MBUX entende a voz, permitindo que o condutor inicie uma pesquisa simplesmente dizendo "Olá Mercedes, encontra os postos de carregamento mais próximos".

Através do serviço Mercedes me Charge, o condutor de um modelo híbrido plug-in pode opcionalmente aceder a uma das maiores redes de postos de carregamento do mundo, com mais de 300 operadores diferentes apenas na Europa (municípios, estacionamentos, autoestradas e vias rápidas, centros comerciais, etc.). Graças ao sistema de navegação, o cliente Mercedes-Benz pode encontrar facilmente esses postos de carregamento e obter acesso conveniente através do cartão Mercedes me Charge, do aplicativo Mercedes me ou diretamente no veículo. Não são necessários contratos separados: para além de uma autenticação simples, os clientes beneficiam de uma função de pagamento integrada, com faturação simples depois de terem registado inicialmente o seu método de pagamento preferido, na sua conta Mercedes me.